Nesta sexta-feira (26), 14 pacientes do Hospital de Campanha do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha se recuperaram e receberam alta. Até aqui já são 267 pacientes recuperados no hospital.

A ansiedade para rever a família após o isolamento hospitalar era grande para Suelen Alves, 25 anos. Ela afirma ter tomado todos os cuidados para evitar o contágio, mas que mesmo assim acabou sendo infectada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). “Eu me mantive sempre em casa. Chegar ao ponto de ter Covid-19 foi uma grande surpresa”, lembra a moradora de Samambaia.

Ao se despedir dos médicos, a emoção tomou conta de Ivanuzia Rodrigues Melo, 59 anos. Com lágrimas nos olhos, a moradora do Paranoá lembra da internação e aconselha a todos que tomem os devidos cuidados. “Se você não está com esse problema, não queira que o outro esteja. Seja consciente, tenha vontade de viver e respeito ao próximo”, alerta.

Morador de Ceilândia, Leonardo Bruno Reis, de 34 anos, revela uma sensação bem difícil até mesmo em superar a doença. “Para a gente que fica aqui nesses dias não é fácil (referindo-se à internação). Não é brincadeira, mata mesmo. Graças a Deus eu passei por essa”, afirma o ex-paciente que fez questão de agradecer os médicos e enfermeiros do hospital.

Maria Zélia dos Santos Pereira, de 65 anos, residente de Sobradinho, também prestou seu agradecimento a equipe multiprofissional, pedindo que “Jesus tome conta deles, porque são eles que são eles que deixam a família deles para tomar conta de nós”.

Como motivação para aos demais pacientes internados que continuam na luta contra à Covid-19, Álvaro Marques Queiroz, de 44 anos, dá o recado: “foi uma batalha muito grande, mas eu consegui vencer e todas as pessoas vão conseguir”, afirmou o morador Lago Norte.

O hospital

Em 22 de maio, o hospital de campanha recebeu os primeiros pacientes já na fase de recuperação da Covid-19. Possui, ao todo, 197 leitos de internação, sendo 20 de suporte de ventilação mecânica.
Na tarde desta sexta-feira (26), a unidade possuía 94 pacientes internados. O diretor da unidade, Marcelo de Mello, destaca que as altas dos pacientes sempre significam uma vitória também para a equipe médica. “Temos tido um número significativo de altas diárias, e todas elas têm seu valor e as de hoje não são diferentes. São homens e mulheres queridos por seus entes que retornam para casa depois da luta contra uma doença que tem feito tantas vítimas”, declarou.

Open chat